Notícias

Campeonato Nacional de Mid-Amateurs BPI

Ana Paula Saúde e José Maria Cazal Ribeiro venceram o 26º Campeonato Nacional de Mid-Amateurs BPI, que a Federação Portuguesa de Golfe (FPG) organizou no campo nº1 do Ribagolfe, no Concelho de Benavente, pertencente ao Grupo Orizonte Golf.

Ana Paula Saúde conquistou o seu quarto título na prova, repetindo os sucessos de 2012 (no Aroeira-1), 2013 (Troia) e 2015 (Ribagolfe-2), enquanto José Maria Cazal Ribeiro averbou o seu primeiro sucesso na principal competição portuguesa para maiores de 30 anos, que foi ainda mais saborosa por, há um ano, no Quinta do Peru Golf & Country Club, ter sofrido uma derrota difícil de engolir num play-off.

Os dois torneios, apesar de diferentes – com o masculino a registar o bom número de 95 participantes e o feminino a ficar-se pelas 5 concorrentes – tiveram em comum o facto de terem sido extremamente competitivos, decidindo-se por margens mínimas.

Na prova feminina, Ana Paula Saúde, do Club de Golf do Estoril, cometeu a proeza de deter ao mesmo tempo os títulos de campeã nacional de seniores (alcançado em 2016) e de mid-amateurs (2017), algo que não sucedia deste Graça Medina em 2010, mas só bateu por 1 única pancada Mafalda Magalhães (Oeiras), a campeã de 2014.

Ana Paula Saúde somou 177 pancadas, 33 acima do Par, entregando cartões de 88 e 89, enquanto Mafalda Magalhães totalizou 178 (90+88), +34. Entre as cinco jogadoras, ao longo de dois dias de prova, só houve 3 birdies, todos carimbados na segunda volta: 1 de Ana Basílio dos Santos e 2 de Ana Paula Saúde. Isso fez toda a diferença.

Se no torneio feminino houve apenas 1 pancada a decidir a campeã, no masculino nem isso, uma vez que José Maria Cazal Ribeiro e Luís Costa Macedo – que se consideram os dois melhores amigos e representam ambos o Lisbon Sports Club – chegaram ao final dos 36 buracos regulamentares empatados com 151 pancadas, 7 acima do Par! 

Cazal Ribeiro protagonizou voltas de 76 e 74, Costa Macedo entregou cartões de 77 e 74, sendo este 74 (+2) o melhor resultado de todo o torneio. 

Pelo segundo ano consecutivo foi necessário recorrer a um play-off e se há um ano, na Quinta do Peru, Cazal Ribeiro jogou mal a “morte súbita” (1 duplo-bogey) e ganhou Romeu Gonçalves (4º classificado este ano com +12), desta feita o diretor comercial da Orizonte Golf desforrou-se e arrumou logo a questão com 1 birdie no buraco 18.

Como bem sublinhou o site especializado “Golftattoo”, tratou-se da primeira vitória individual em campeonatos nacionais de Cazal Ribeiro «desde que foi campeão nacional amador absoluto em 2000, no mesmo ano em que também venceu o outro Major amador do calendário português, a Taça da FPG/BPI». 

Pelo meio ficou uma breve carreira profissional em que chegou a ser nº3 da Ordem de Mérito da PGA de Portugal, o regresso ao golfe amador, o abraçar de uma nova vida como diretor do Ribagolfe, ajudando a organizar grandes eventos como a Primeira Fase da Escola de Qualificação do European Tour e agora como diretor comercial.

«A satisfação de ganhar este torneio é comparável a essas vitórias de outros tempos, embora hoje em dia tenha objetivos de carreira muito diferentes. Mas este era um torneio que eu queria mesmo ganhar», disse José Maria Cazal Ribeiro, de 40 anos, ao Gabinete de Imprensa da FPG (declarações mais completas no Facebook da FPG).

«Esta vitória foi engraçada por eu ser também a campeã de seniores, mas não joguei bem. Com o meu handicap deveria ter feito 11 acima do Par, como, aliás, aconteceu na volta de treino. Ganhei menos por mérito próprio e mais por ausência das jogadoras daquela geração que agora têm mais de 30 anos e que, lamentavelmente, não aparece», declarou Ana Paula Saúde, que considerou o sucesso de 2016 nos seniores mais desafiante «porque estava muito vento em Miramar e foi difícil dominá-lo».

ASSESSORIA DE MEDIA 
DA FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE GOLFE

Notícia Federação Portuguesa de Golfe

Notícia Golf Tatoo